Nascimento

Nascimento
Por: Thiago Kalu

Nada existe em si.
Tudo se move em comunhão e com muito vigor.

É simples:
toda forma de vida interage com alguma outra forma de vida –
é a Lei da Juntância – a única lei.

A vida é atenta e precisa;
composta num oceano de detalhes -
com tempestades e calmarias.

Quando os sentimentos dançam livremente
até romper todos os ligamentos
e estabelecer outro tipo de conexão vital,
o tempo da alma é diminuto
e a velocidade da mente é temperamental.

Diante das possibilidades de um organismo infinito,
O corpo nasce no êxtase de um orgasmo eterno,
localizado num espaço irrestrito,
em qualquer lugar além do céu e do inferno.

E ele sobrevoa uma floresta secular, praiana e transcendental
sem medo da queda nem de nenhum outro deslize acidental
até que pousa num delta imenso
e num balanço denso
surfa por toda trilha do tempo e do sal.

E os rios de larva eclodem
nas rochas de mel que explodem
um amor que borbulha gotulejante
e comemorativo.

Quando sua primeira lágrima tocou a terra,
mergulhou profundamente inteira
e realmente era a dose certa do instante.

No controle perfeito dos sentidos e da comunicação
[onde o sentimento é a grande moeda de troca e ação],
ter a liberdade de estar em qualquer tempo
é o princípio do início e do fim.

2 thoughts on “Nascimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>